domingo, 4 de dezembro de 2016

SETI E NASA TERIAM DETECTADO SINAL ALIENÍGENA EM GANIMEDES

O SUPOSTO FATO TERIA PROVOCADO UMA REUNIÃO INTERNACIONAL, COM DESFECHO SURPREENDENTE

E se já tivéssemos nos comunicado com inteligências não terrestres?
Será que astrônomos da Agência Espacial Norte-Americana (NASA) e da Busca por Inteligência Extraterrestre [Search for Extraterrestrial Intelligence, SETI] realmente detectaram um sinal artificial de uma das maiores luas de Júpiter, Ganimedes, durante a década de 1980? Segundo alguns pesquisadores, a resposta é sim.
Este cenário parece ter ocorrido. De acordo com o autor Rupert Matthews – com quase duas centenas de livros publicados e especialista em temas históricos ou militares -, a informação foi transmitida a ele como real, por um astrônomo da NASA que estava trabalhando em estreita colaboração com o SETI.
Enquanto pode parecer, para alguns, extremamente absurdo, é bom recordarmos que foi apenas nas últimas décadas que especialistas confirmaram a forte evidência de oceanos líquidos debaixo de Europa, Ganimedes e Calisto, as três maiores luas de Júpiter. E como todos sabem, a água é o elemento que deve estar presente ao desenvolvimento da vida, por isso, enquanto se pareça como improvável, não é impossível.
Tal sinal parece ter sido detectado, segundo o autor e suas fontes, somente por um breve período de tempo, não repetindo-se desde então, talvez possamos dizer que esses ETs estariam apenas visitando o local e não seriam residentes permanentes daquela lua.
Quanto ao provável fato, é isso que Matthews relata em seu livro Alien Encounters: True Life Stories of Aliens, UFOs and Other Extra-Terrestrial Phenomena [Encontros Alienígenas: Histórias da Vida Real de Aliens, UFOs e Outros Fenômenos Extraterrestres, Arcturus Foulsham, 2008].
Profissionais da NASA e SETI captaram no rádio, conforme as narrações de Matthews, um indício que conteria uma mensagem em meados da década de 80. O sinal estava vindo de Ganimedes, lua de Júpiter, e definitivamente artificial por natureza.
Foi executado através de vários computadores e nenhum sentido decifrado quanto ao significado da mesma. O então presidente Ronald Reagan, foi notificado e uma conferência internacional montada para determinar como fazer uma tentativa para manter contato com a inteligência que estava enviando a mensagem.
Eventualmente, decidiram enviar um sinal para o local exato de proveniência, em código Morse, que era considerado por ser mais fácil para uma civilização alienígena decodificar. Foi, então, transmitido. “Recebemos o sinal, mas não entendemos. Por favor reenviar usando esta linguagem e código de transmissão.”
Imediatamente após o encaminhamento, o sinal misterioso de Ganimedes cessou a sua transmissão. Todo mundo achou que iriam receber a resposta em código Morse em curto período de tempo.
crédito: Arcturus Foulsham
Obra de Rupert Matthews, com interessante conteúdo
Obra de Rupert Matthews, com interessante conteúdo
Mas, dia após dia e depois de semanas sem sinal, as autoridades começaram a perder a esperança de efetivamente recebê-la. Finalmente, após mais de um mês, um sinal foi detectado, que vinha da fonte original de rádio em Ganimedes e, incrivelmente, foi em código Morse.
Ansiosamente, conforme o autor, cientistas da NASA traduziram o que seria o contato direto com uma inteligência não terrestre. E ela dizia: “Nós não estávamos falando com você “.
Então, esse seria o nosso primeiro contato direto com uma civilização extraterrestre? Se assim for apurada, pode ser analisada de forma positiva ou negativa. Tê-los contatado nos dizendo que não estavam falando conosco poderia indicar que não somos importantes ou desenvolvidos o suficiente para eles. No entanto, também indicaria que há várias sociedades interplanetárias na nossa vizinhança galática.