segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Planeta anão Ceres possui muita água em sua composição


Resultado de imagem para ceres planeta anãoUma nova pesquisa indica que existe água por toda parte no planeta anão Ceres, situado no principal Cinturão de Asteroides entre Marte e Júpiter. As informações da missão Dawn indicam que esse mundo possui cerca de 30 por cento de sua massa em água, misturada a rochas na superfície, e em camadas de gelo no subterrâneo. Ainda existem suspeitas quanto à existência de plumas de vapor de água na superfície, onde já foi encontrado também gelo exposto. Os dados constam de um mapa global de Ceres mostrando a distribuição de hidrogênio, de onde se pode aferir a presença de água.

Imagem relacionada

As teorias apontavam para a existência de uma crosta rica em água no pequeno mundo, separada da rocha, e a presença nas quantidades observadas, de acordo com o artigo, indica que gelo de água pode durar por bilhões de anos a cerca de um metro de profundidade, sob as rochas da superfície. Os dados utilizados vieram do instrumento Detector de Raios Gama e Nêutrons (GRaND), que detecta essas emissões resultantes da colisão de raios cósmicos com a superfície de Ceres. Analisando esse fenômeno pode-se determinar a composição dos materiais ali presentes até cerca de um metro de profundidade. Além do hidrogênio, foram encontrados potássio e ferro, entre outros.

Imagem relacionada

Os cientistas também descobriram que a água em Ceres é concentrada próxima aos polos, enquanto perto do equador a concentração é bem menor. Os cientistas compararam o mapa de Ceres com aquele obtido pela Dawn sobre Vesta, indicando que aquele tem 100 vezes mais hidrogênio do que este. Isso aponta para um processo global em Ceres, indicando que a água ainda é um componente importante de sua composição. É ainda possível que Ceres tenha um oceano subterrâneo, contudo este deve ser composto por uma mistura química muito salgada, com pouca água. A maior parte da água de Ceres está em depósitos de gelo próximos à superfície. O gelo também existe em certos locais e rachaduras na superfície, onde nunca bate a luz do Sol. A nave Dawn chegou a Ceres em março de 2015, completando sua missão primária em junho passado, e estando atualmente na missão estendida.

Contato alienígena é revelado por sete amigos que quebram pacto de silêncio – Argentina

A história foi mantida em segredo por um acordo entre as testemunhas. Sete pessoas passaram pela provação mais inacreditável e aterrorizante de suas vidas. Eles estão falando abertamente sobre isto hoje, enquanto ocultam suas identidades.

Seria esta a história de um genuíno contato alienígena que teria ocorrido na Argentina julho passado?
Eles alugaram uma chácara perto de Neuquén e tiveram um final de semana repleto de horrores.
OVNI Luz em Neuquén. Possível contato alienígena na, Argentina
imagen meramente ilustrativa
Tudo aconteceu em Neuquén, em julho passado, durante uma amigável reunião de fim de semana, pois fazia muito tempo que eles não se viam.  Eles alugaram uma chácara para degustar da boa comida e conversação.  Mas isto tudo foi mudado como resultado de misteriosos eventos que incluíram luzes que invadiram o local, ruídos impressionantes e situações ilógicas.

Alberto é um dos amigos.  Ele tem 45 anos e é professor numa escola na cidade de Evita.  Ele não acreditava em OVNIs, alienígenas ou nada similar.  Agora ele acredita. A testemunha falou para o Mas Alla del Misterio:
Ficamos impressionados. Discutimos entre nós, pelo telefone ou Facebook. Somos um grupo de amigos que queríamos nos reunir, tendo se conhecido desde a infância. Fomos à escola juntos e compartilhamos atividades.  A vida nos conduziu a diferentes caminhos mais tarde. Mas uma corrente foi formada, ela cresceu, e um dia decidimos nos reunir novamente e fazer algo. Foi quando tivemos a ideia de alugar uma chácara para o final de semana em Neuquén.  A ideia era de atualizar nossas histórias e vidas e comer muito. Nunca imaginávamos o que aconteceria. Estou te falando com a permissão deles.

Estávamos em julho. Fui para lá de avião, e nos reunimos.  Escolhemos uma habitação com vários quartos e um grande quintal. Obviamente, compramos muita carne e garrafas de vinho. Começamos com um enorme jantar, muitos abraços, anedotas, risadas, algumas histórias tristes envolvendo aqueles que não mais estão conosco. Um dia maravilhoso. Na noite bebemos mate e até mesmo armamos uma mesa de pebolim (totó). Veio a noite. Discutimos o que comer e concordamos em cerveja e pizza.  Mandamos buscar, o pedido veio e tudo estava perfeito, bem como planejamos.

Por volta das 23h00, alguns amigos foram aos seus quartos para dormir.  Outros ficaram na sala, conversando:
Estávamos cansandos, mas felizes. Foi quando toda essa coisa que não podemos explicar começou a ocorrer. A primeira coisa que aconteceu foi a chegada de uma luz enorme que ‘inundou’ praticamente tudo. A casa tinha amplas janelas com vidros e cortinas grossas. A luz penetrava por tudo, até mesmo pela porta principal. Não podíamos compreender isto.

Espanto tomou conta do grupo. A poderosa luz logo foi combinada com um tremendo ruído que nenhum deles havia ouvido antes. Alberto explicou:
O ruído era muito estranho. como um assovio, um zumbido. Pensamos que pode ter sido um máquina, mas nada que tivéssemos ouvido antes. Esta era a situação. Estávamos dentro, com a luz fora que inundava absolutamente tudo, e o estranho ruído sem fim. Tentamos olhar para fora, mas o clarão não nos permitiu ver nada. Ficamos nervosos, e o medo logo se manifestou. Mas não sabíamos o que fazer. Ninguém estava disposto a sair para fora.

Tudo ficou muito estranho. Não tenho certeza quanto tempo esta situação durou, dez minutos talvez. De repente, o ruído começou a desaparecer até que tudo ficou quieto. Mas a luz ficou lá. Acho que era precisamente para nos manter do lado de dentro. Olhamos uns aos outros. De repente outro som começou a se manifestar do lado de fora.  Verdadeiramente inexplicável. Não posso explicá-lo. Um mistura de sons metálicos, mas isso não os explica também. Quase simultaneamente, um vento passou dentro da casa, sem razão, chacoalhando as cortinas, os lustres.  A porta começou a fazer um ruído, guinchando.  As janelas também.
Entre este cenário assustador um dos amigos sugeriu que deixassem o cômodo principal da casa. “Vamos para o quarto maior”, disse ele.  Todos concordaram:
Sentimos como se não devêssemos estar onde estávamos, que não podíamos permanecer lá. Trancamo-nos no quarto e despendemos a noite toda lá. De vez em quando escutávamos barulhos. Finalmente, pela manhã, fomos para fora tremendo. As cortinas da casa estavam rasgadas em dois, quase que perfeitamente. Assim também estavam os pratos na mesa. Somente suas circunferências foram deixadas intactas.
Alberto finamente disse:
Nenhum de nós pode explicar isto, se alienígenas ou algo mais estava envolvido. Nada.  Queremos contar a história, mas é provável que seremos tomados por loucos, embora estamos nos manifestando agora, porque temos certeza que não somos os únicos que passaram por uma experiência similar.
Durante conversas após o evento, os amigos vieram com um número de teorias. De forma geral, eles acreditam que foi um contato imediato do terceiro grau com algum tipo de nave alienígena, o qual se manifestou no local para fazer algo do qual eles não sabem.
Eles ficaram por lá várias horas. Sabemos que algo veio para dentro enquanto estávamos trancados no quarto. Falamos sobre as cortinas e os pratos. Eles levaram os círculos da base dos pratos, deixando somente suas circunferências. Estes eram círculos perfeitos. Nenhum barulho, nada. Um mistério.
Alguns de nós nem mesmo falamos o que aconteceu aos nossos parentes. Este não é meu caso – eu tenho suficiente confiança naqueles que amo, e eu o fiz com detalhes consideráveis. De fato, eles me apoiaram quando considerei a possibilidade de compartilhar a história com o Diário Popular… Esperamos compreender um pouco mais; estamos um pouco obcecados.
As descrições do evento na chácara em Neuquén tem pontos de similaridades com o filme “Sinais”, especialmente no começo, quando a família passa por um momento de pânico antes dos alienígenas chegarem em sua casa.
Discutimos isto, combina com o filme. A única coisa é que não havia nada no lado de fora. Olhamos ao redor para ter certeza e nenhum traço sequer foi encontrado. É tudo tão estranho. Os moradores da região dizem que não viram nada.

Será mesmo que existem pirâmides de civilizações antigas na Antártica?

Já se passou algum tempo desde a suposta descoberta de ‘pirâmides’ na Antártica. As notícias sobre estas misteriosas estruturas têm causado grande interesse entre os pesquisadores e ovniólogos, e incontáveis teorias têm emergido, as quais propõem diferentes explicações sobre o que estas ‘estruturas’ possam ser. Essas teorias vão desde construções alienígenas, até bases militares secretas ou civilizações antigas com tecnologia avançada, enquanto outros acreditam que estas pirâmides sejam somente formações naturais e nada mais.


Infelizmente, todas essas informações ainda têm que ser confirmadas ou negadas, pois nenhuma fonte oficial se importou em investigar o assunto, aparentemente.
Várias imagens têm circulado pela Internet, mostrando estruturas piramidais no gélido ambiente da Antártica, algumas delas obtidas através do Programa Integrado de Perfuração do Oceano, um projeto internacional para exploração subaquática.
Possíveis pirâmides e construções da antiguidade podem estar ocultadas pelo espesso gelo na AntárticaPossíveis pirâmides e construções da antiguidade podem estar ocultadas pelo espesso gelo na Antártica.

A descoberta dessas supostas pirâmides tem causado especulações sobre como era a Antártica no passado distante, pois alguns sugerem que nem sempre aquele continente foi tão frio quanto é hoje.  A pesquisa científica parece provar essa teoria.
Em 2009, cientistas que faziam pesquisa e coletavam amostras encontraram partículas de polen na Antártica, sugerindo que o ecosistema daquele continente era muito diferente no passado, com temperaturas no verão alcançando por volta de 20ºC.  Em 2012, uma outra equipe de pesquisadores identificou 32 espécies de bactérias halófilas de 2.800 anos de idade, em amostras de água do Lago Vida, no leste da Antártica.  A superfície permanentemente gelada do lago constitui o gelo não glacial mais espesso na Terra.
As possibilidades são infinitas se você levar em consideração que a Antártica nem sempre era tão fria quanto é hoje. A questão a ser perguntada aqui é a seguinte: Seria possível que a Antártica foi uma vez quente o suficiente para tornar possível para uma civilização antiga viver lá?  E se esta cultura antiga de fato se desenvolveu, encontraríamos evidências dela hoje?  Bem, de acordo com muitos pesquisadores, há estruturas na Antártica, há pirâmides por lá e há evidências suficientes para apoiar a teoria de que uma antiga civilização lá existiu. Se a comunidade arqueológica vai reconhecer essa descoberta, aí já é uma questão diferente.
Se retornarmos à África, sabemos que os estudiosos e egiptólogos por muito tempo têm suspeitado que a Esfinge é muito mais velha do que se acredita, possivelmente mais de 10.000 anos. Essas teorias são apoiadas pela descoberta da erosão feita pela água na Esfinge que, de acordo com os estudiosos, conta uma história de uma mudança climática extrema no passado distante.  Assim, se o clima na África e outras partes do mundo mudou drasticamente, seria possível que a mesma coisa aconteceu na Antártica?  E se os pesquisadores conseguirem provar que as pirâmides da Antártica são estruturas feitas pelo homem, a descoberta causaria uma grande revisão na história da humanidade?
Os pesquisadores e arqueólogos aceitariam e reconheceriam estas descobertas?  Bem, provavelmente não, pois isso iria contra tudo que eles sabem e acreditam. Porém, este não é um debate de crenças, mas sim uma questão de descobrir a verdade sobre as inúmeras civilizações antigas espalhadas pelo globo, muitas das quais ainda permanecem escondidas.
Fonte : n3m3