segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Quais são as chances de uma megaestrutura alienígena bloquear uma estrela distante?

 (Foto: NASA)

Neste momento, a estrela KIC 8462852 está muito quente — e não apenas por ser uma estrela da classe F —, mas porque o telescópio espacial Kepler descobriu que ela pisca de forma bastante incomum, como se algo estivesse escurecendo-a. Esses “mergulhos” na luz são diferentes do que aconteceria caso planetas estivessem bloqueando a estrela.
Cientistas não conseguem chegar a uma explicação para o fenômeno se baseando em processos astrofísicos naturais, portanto a atenção tem se voltado para a chance de alguma megaestrutura alienígena estar bloqueando a luz. Mas o que seria exatamente uma estrutura do tipo e qual é a probabilidade do Kepler ter identificado uma?
Muitas possibilidades
É verdade que imersões na luz da estrela são algo estranho, tanto em forma como em tempo. É improvável que elas sejam envolvidas por uma nuvem de poeira, já que a estrela é muito antiga para ter o formato de disco. Mas o que dizer sobre uma tempestade de cometas? Elas não são realmente muito bons em escurecer estrelas, então a possibilidade também é pequena. Fragmentos de uma colisão planetária poderiam ser o caso, exceto pelo fato de que eventos assim são tão raros que dificilmente seriam captados pelo Kepler.
A falta de explicações simples deixou muitas perguntas silenciosas — ou não tão silenciosas — sobre a chance disso ser uma megaestrutura alienígena, conhecida como a esfera Dyson. A esfera Dyson foi descrita pela primeira vez por Freeman Dyson, em 1960, que argumentou que uma civilização alienígena tecnologicamente avançada usaria cada vez mais energia conforme crescesse. Como a maior fonte de energia em qualquer sistema solar é a estrela em seu centro, faria sentido que a civilização construísse painéis solares em órbita para tentar capturá-la. Estruturas como essa ocupariam cada vez mais espaço até que eventualmente cobrissem a estrela inteira, como uma esfera. Contudo, uma esfera completa seria invisível para o telescópio Kepler porque absorveria toda a luz da estrela, então sinais dessa estrutura teriam que vir de algo ainda em construção.
Seria esse o caso? Eu duvido. Meu argumento básico é esse: se uma civilização constrói uma esfera Dyson, é improvável que ela se mantenha pequena por um período longo. Assim como colisões planetárias são tão raras a ponto de não poderem ser vistas pelo Kepler, o tempo que leva para fazer uma esfera Dyson é muito curto: vê-la em construção é improvável. Mesmo se soubéssemos que uma esfera pudesse eventualmente ser construída em um sistema solar, a chance de testemunhar isso é pequena.
Como sabemos disso? Para construir uma esfera Dyson, seria necessário “desmontar” um corpo próximo, como um planeta, para fornecer o material para os captores solares. Em um artigo recente que escrevi com um colega, calculamos que desmontar Mercúrio para fazer uma estrutura Dyson parcial poderia levar 31 anos. Uma maneira de fazer isso seria desmontando o planeta mecanicamente, como fazemos em nossas indústrias de alumínio e aço. Por essas indústrias, sabemos os custos energéticos desse tipo de trabalho, então o truque é usar material já extraído para construir mais equipamentos de mineração e coletores solares para alimentá-lo, atingindo um ciclo de realimentação exponencial.
O tempo que levaria para desmontar qualquer planeta terrestre não é muito maior do que no caso de Mercúrio, enquanto os planetas gasosos demorariam alguns séculos. Nosso objetivo com o artigo foi mostrar que, ao usar uma pequena fração de recursos no sistema solar, é possível aproveitar energia suficiente para lançar uma enorme iniciativa de colonização espacial (literalmente alcançando todas as galáxias possíveis, eventualmente todos os sistemas solares), mas a questão importante é que esse tipo de engenharia planetária é rápida em escalas de tempo astronômicas.
Durante a história de uma estrela F5 como a KIC 8462852, até mesmo mil anos para construir uma esfera não seria muito. Considerando a massa estimada da estrela como 1,46 massas solares, ela terá uma vida útil de 4,1 bilhões de anos. A chance de vê-la enquanto estiver sendo revestida por uma esfera Dyson é uma em 4,1 milhões.
Essa é a probabilidade se existir de fato uma dessas esferas. Presumo que apenas algumas estrelas teriam alienígenas e elas estariam escondidas desta forma, então a probabilidade real de ver uma no meio do processo é muito menor. Das 150 mil estrelas que o Kepler observa, não podemos esperar que alguma delas esteja nesse estado.
Planeta abandonado ou alienígenas despreocupados
Outra possibilidade é que a estrutura seja uma “casca” Dyson abandonada. Uma estrutura dessas provavelmente teria se aglomerado em rios de destroços com o tempo, o que de início parece ser uma explicação promissora. São maiores as chances de vermos as ruínas dessas estruturas do que suas construções. Assim como ruínas normais, elas normalmente durariam mais tempo do que o período usado para construí-las.
E se os alienígenas estivessem construindo a esfera lentamente? Isso é, até certo ponto, o que estamos fazendo aqui na Terra ao lançar um satélite de cada vez. Portanto, se uma civilização alienígena quisesse crescer em um ritmo lento ou só precisasse de parte da esfera Dyson, eles poderiam fazer isso.
Contudo, se você precisa de algo como 30 quintilhões de watts (o que corresponde a um coletor de 100 mil quilômetros em uma unidade astronômica em torno da estrela), suas demandas não são modestas. Dyson propôs esse conceito baseado originalmente no fato de que as necessidades de energia dos humanos foram crescendo aos poucos. Mesmo com uma taxa de crescimento de 1%, uma civilização precisa, em alguns milênios, da maior parte da energia estelar. Para obter uma probabilidade razoavelmente alta de detectar uma esfera incompleta, precisamos supor que as taxas de crescimento dessa civilizaçãosão extremamente baixas. Embora não seja impossível, parece pouco provável considerando a maneira como a vida e as sociedades tendem a se desenvolver.
Outras estruturas alienígenas?
Esferas Dyson não são as únicas megaestruturas capazes de causar trânsitos estelares intrigantes. Pesquisas sugerem que uma civilização extraterrestre poderia, por exemplo, separar materiais compostos por asteroides usando uma leve pressão, controlar o clima usando sombras e espelhos ou viajar através de mecanismos com os ventos solares. A maioria dessas ferramentas são pequenas se comparadas às estrelas, mas o Kepler poderia notá-las caso existissem em quantidade suficiente.
Outro estudo calculou a possibilidade de detecção de motores estelares — espelhos gigantescos usados para mover sistemas solares inteiros — com base em curvas de luz. Infelizmente, os cálculos não correspondem à estrela KIC 8462852.
Precisamos, afinal, de mais dados. As apostas são altas. Se não existe vida inteligente no espaço, significa que somos muito sortudos — ou que espécies inteligentes são extintas rapidamente. Mas se existe (ou já existiu) outra civilização tecnológica, seria bastante reconfortante: saberíamos que vida inteligente pode sobreviver por um tempo considerável. Na verdade, acho que aprenderemos que processos comuns da astrofísica podem produzir estranhas curvas de trânsito, talvez devido a objetos estranhos (lembra de quando achávamos exótica a ideia de Júpiters quentes [classe de planetas extrassolares com massa similar à do planeta Júpiter]?) O universo é cheio de coisas estranhas, o que me deixa feliz por viver nele. Mas faz sentido observar as estrelas, só para garantir.
*Anders Sandberg é membro do Instituto do Futuro da Humanidade, na Universidade de Oxford. Este artigo foi originalmente publicado em inglês pelo The Conversation.

sábado, 24 de dezembro de 2016

O Novo Messias, Cristo, Buddha, Krishna…

O Novo Messias – Cristo – Buddha – Krishna (O Novo ILUMINADO)
Eu represento para vós o Pai quando vós estais no caminho rumo ao Cristo. Quando vós vos tornais o Cristo, eu represento para vós o Irmão em Cristo. Quando vós procurais elevar o raio feminino(elevar a Kundalini) em vós, eu vos dou então o complemento a esse raio como o Espírito Santo“. 
Preferindo simplesmente ser conhecido como o Instrutor, Maitreya não vem como um líder religioso de qualquer religião específica e nem para qualquer  povo “eleito”, ou fundador de uma nova religião, mas sim como professor e guia para as pessoas de todas as religiões e para aqueles sem religião, para todos que o aceitarem e à sua mensagem.
Quem é o Novo messias? Maitreya,  o Cristo Cósmico
Maitreya, o Mestre Ascenso cujo nome significa “bondade”, está cumprindo seu juramento de ser o tutor na Terra das almas que desejam trilhar o caminho do Bodhisattva. Ele, que vestiu o manto do Senhor Divino na Escola de Mistérios da Lemúria (Éden), veio em resposta ao chamado da Mãe Divina para salvar os Portadores de Luz.
Acima o local do Retiro do Templo do Royal Teton, nas Montanhas Rochosas, Wyoming, EUA.
 A realização espiritual de uma alma determina onde ela vai acabar em vida após a morte do seu corpo. O templo do Retiro do Royal Teton, que esta situado dentro das Montanhas Rochosas, no Grand Tetons é um dos refúgios mais importantes da Hierarquia Espiritual e da Fraternidade Branca-Mestres Ascencionados do planeta. Uma Alma realizada teria a sorte de ser transportada para lá, porque então ela só poderia estar interagindo com os Mestres Ascensos, com os seres cósmicos e a Hierarquia Espiritual que regem os destinos do planeta e da humanidade nesse final de ciclo, ou seja, essa Alma estaria interagindo com os Senhores do Carma, Saint Germain, Confúcio, Sidharta (Buddha) Gautama, Hilarion, e todos os demais. Aqui esta o primeiro parágrafo do livro Os Mestres e seus Retiros descrevendo este retiro: 
O Templo do Royal Teton, congruente com a Faixa das Montanhas Rochosas, no local conhecido como o Grand Teton, ao lado de Jackson Hole, no estado do Wyoming, EUA, é o retiro principal da Grande Fraternidade Branca no continente norte-americano.
Confúcio é o hierarca deste retiro físico / Etérico inserido dentro da montanha Grand Teton. Este retiro é um foco antigo de grande concentração de luz, onde os sete raios dos Elohim e dos arcanjos estão consagrados”. 
(n.T. – Ele é anterior ao Dilúvio. Junto a esse local esta o portão sul de entrada do Parque de Yellowstone – Pedra Amarela – um nome que deriva de um antigo Templo Sagrado de Atlântida e cujos restos ainda podem ser encontrados no topo de um cume próximo às montanhas do Grand Teton. )
Maitreya foi o segundo discípulo (após Gautama) a responder à chamada de Sanat Kumara na Terra. Em 1º de janeiro de 1956, numa cerimônia realizada no Retiro de Royal Teton, (Wyoming-USA) Gautama sucedeu a Sanat Kumara no cargo de Senhor do Mundo e Maitreya sucedeu a Gautama nos cargos de Cristo Cósmico e Buda Planetário, passando o manto de Instrutor do Mundo aos candidatos a este cargo, Jesus Cristo e Kuthumi.
A Mestra Ascensionada Pórtia (complemento feminino de Saint Germain) definiu o cargo de Cristo Cósmico como sendo a incorporação do momentum conjunto da consciência crística de cada alma individual em evolução na Matéria, e o próprio Senhor Maitreya deu ao mundo uma explicação a esse respeito em seu ditado de 14 de novembro de 1973:
Eu represento para vós o Pai quando vós estais no caminho rumo ao Cristo. Quando vós vos tornais o Cristo, eu represento para vós o Irmão em Cristo. Quando vós procurais elevar o raio feminino em vós, eu vos dou então o complemento a esse raio como o Espírito Santo.
E quando vós manifestais o Espírito Santo, eu então apareço como a Noiva Vestida de Branco. E vedes assim que a mestria da consciência do Cristo Cósmico é a realização da mestria dos quatro pontos da Cidade Quadrangular e os quatro lados dos quatro corpos inferiores. Portanto, a marca da consciência do Cristo Cósmico e daquele que atinge esse patamar é tornar-se o próprio”.
Seu nome significa Compaixão, e como Instrutor do Mundo completou as grandes religiões. Ele encarnou na Índia como Krishna para promover a religião Hindu e mais tarde Ele foi o Pai que instruía e agia através de Jesus. (Jesus/Sananda) Maitreya, nesta Nova Era, vestiu o Manto de Cristo Cósmico, que pertenceu a Jesus na Era de Peixes, Jesus, que padeceu e morreu na cruz, completando assim a religião Cristã. 
Ele tem sido esperado há gerações por todas as principais religiões. Os cristãos conhecem-no como o Cristo e estão na expectativa de Seu iminente retorno. Os judeus esperam-no como o Messias; os hindus aguardam a chegada de Krishna; os budistas esperam Buddha Maitreya e os muçulmanos esperam-no como Iman Mahdi ou o Messias. Os nomes podem diferir, mas existe a crença de que todos esses nomes se referem a mesma pessoa – O Professor do Mundo- cujo nome é Maitreya.
Preferindo simplesmente ser conhecido como o Instrutor, Maitreya não vem como um líder religioso ou fundador de uma nova religião, mas sim como professor e guia para as pessoas de todas as religiões e para aqueles sem religião. Nestes tempos de grandes crises políticas, econômicas e sociais, Maitreya inspirará a humanidade para que esta se sinta como uma família e criará uma civilização baseada no compartilhar, na justiça econômica e social e na cooperação entre todos os homens.
Ele lançará um apelo para salvar milhões de pessoas que morrem de fome a cada ano num mundo de fartura e abundância. Entre as recomendações de Maitreya está uma mudança nas prioridades sociais de modo que a alimentação, a moradia, a educação e a saúde pública adequada se convertam em direitos universais. Sob a inspiração de Maitreya a humanidade fará as mudanças necessárias e criará um mundo mais razoável e justo para todos.
“As esperanças agora são grandes para o MEU Reaparecimento. Com alegria ME apresentarei às pessoas. Busquem por MIM em seu próprio coração e ME encontrarão esperando. Procurem por MIM e peguem Minha mão. EU necessito sua ajuda para estar diante de vocês, para abençoar este mundo e ensinar, para mostrar aos homens que o caminho é simples, requer somente aceitar a justiça e a liberdade, Compartilhar e Amar”
Não vim para fundar uma nova religião, diz Maitreya, o Professor do Mundo. Vim para ensinar a arte da realização do ser, algo que não é nem ideologia nem uma religião, mas que beneficia as pessoas de todas religiões e aquelas que não pertencem a nenhuma religião. “Eu busco expressar o que Sou através de vocês, por isto venho”
Segundo Maitreya, “Só o Ser importa”. “Vocês são este ser, um ser imortal”. O sofrimento é causado pela identificação com tudo o que não é o Ser. Perguntem a si mesmos: Quem Eu Sou? E verão que estão identificados com a matéria (corpo), ou com o pensamento (mente/intelecto). Porém, vocês não são nenhum “destes”. Mente, corpo e espírito são os templos do Senhor. O Ser experimenta nestes templos “o supremo Ser é a manifestação do Senhor”.
Uma das formas mais fáceis de conhecer-me, diz Maitreya, é serem honestos em sua mente, sinceros em seu espírito, praticando o desapego. Qualquer ação realizada com desonestidade da mente, insinceridade espiritual e apego, são destrutivos. Por exemplo, se pensam numa coisa, dizem outra, e fazem ainda outra diferente, estão perdidos. A honestidade da mente conduz à palavra honesta e à ação correta. Esta harmonia conduz à paz e a felicidade.
A Arte da Realização do Ser, Lord Krishna e Radharani.
Sem o desapego não há salvação. O desapego é a “droga” mais poderosa. Aprender o desapego é uma arte. Um cientista desapegado, aprenderá as leis da física e química (que são leis da criação) e as aplicará, criando coisas que constituem a obra de Deus. O artista, com desapego, será capaz de descobrir Deus através de suas próprias experiências.
Que semelhante trabalho não é fácil, nem sequer para o Filho do Homem, é evidente. Os antigos costumes de divisão e separação têm fortes raízes, enquanto o medo e a superstição e a falta de fé e coragem enfeitiçam o homem/mulher há milhões de anos. Mas nunca antes, na história do mundo, veio um Professor melhor equipado para seu trabalho. Maitreya veio para lutar contra a ignorância e o medo, a divisão e a necessidade, pois ele trás consigo a energia da abundância (o Raio Verde).
Suas armas são a compreensão espiritual, a compaixão, o conhecimento e o amor. Sua brilhante armadura é a própria verdade em si mesma (que desta vez VAI PREVALECER).
O Significado do nome Jesus Cristo em grego:
X e P letras gregas X=chi e P=rho (com Alpha (α, o princípio) e Ômega (ω o fim) incluídos no símbolo), iniciais em grego do nome Cristo.  In Hoc Signo Vinces  em latim significa: Sob este sinal Vencerás. 
Em Grego, Jesus Cristo (Cristo significa Ungido, Messias) escreve-se como Ιησος Χριστος, ou de um modo mais completo, o nome que as primeiras comunidades cristãs Lhe atribuíam em Grego: Ιησος Χριστος Θεου Υιος ΣωτηρIesus Christus Theos Uios Soter=Jesus Cristo Salvador Filho de Deus. As Iniciais desta frase ΙΧΘΥΣ (ICHTIUS) significam Peixe em grego.
Por isso os primeiros cristãos usavam o símbolo do peixe  (o símbolo da era astronômica iniciada em torno de 148 a.C., a Era de Peixes que terminou em 21 de dezembro de 2.012 a.D., quando então começou a Era Astronômica de Aquário) para se identificarem mantendo a discrição, buscando evitar sua delação para as tropas romanas durante a perseguição do império romano aos cristãos dos primeiros séculos. Publicado em Junho 2014.

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Gigantesca espaçonave estacionada no limite do sistema solar?

Poderia uma enorme espaçonave  Interestelar Alienígena estar estacionada nos limites do sistema solar?
A distante localização do bizarro objeto, em formato de ampulheta encontrado no Cinturão de Kuiper, girando como uma hélice, enquanto orbita o sol, nos limites do sistema solar, de acordo com um astrônomo da Queens University de Belfast, Irlanda.” [EuroPlanet]. O objeto se move em movimento rotacional como se fosse algum tipo de imensa espaçonave estelar.

NA DISTANTE REGIÃO DOS LIMITES EXTERNOS DO SISTEMA SOLAR CONHECIDA COMO CINTURÃO DE KUIPER, UM ESTRANHO OBJETO SE MOVE EM MOVIMENTO ROTACIONAL COMO SE FOSSE UMA ESPAÇONAVE ALIENÍGENA INTERESTELAR GIGANTE EM FORMA DE AMPULHETA (ABANDONADA?).
A seguir analisamos o que esse estranho objeto poderia ser: 
A localização distante do bizarro objeto, em formato de ampulheta encontrado no Cinturão de Kuiper, girando como uma hélice, enquanto orbita o sol, de acordo com um astrônomo da Queens University de Belfast, Irlanda.” [EuroPlanet]
O Cinturão de Kuiper (Kuiper’s Belt), também chamado Cinturão de Edgeworth ou Cinturão de Edgeworth-Kuiper, é uma área limítrofe do sistema solar que se estende desde a órbita de Netuno (a 30 UA do Sol) até 50 UA do Sol. Os objetos do cinturão de Kuiper são comumente chamados de KBO (Kuiper belt object). A origem do cinturão de Kuiper é incerta, mas acredita-se que seus objetos são remanescentes da nebulosa protossolar que deu origem ao Sistema solar, ao Sol e aos planetas. 
KBOs são rochas congeladas contendo metano, amônia e água com tamanhos que podem variar de 100 a 1000 km, com alguns maiores que isto. Estima-se que no passado eram maiores e mais numerosos, mas interações com os planetas (principalmente Netuno) e colisões mútuas acabaram por expulsar boa parte deles, seja em direção ao Sol ou aos planetas internos, como Júpiter, seja para regiões externas do Sistema Solar, para região da Nuvem de Oort.
 Ver imagens em infográfico a seguir:
Poderia ser sucata Celestial 
Existem várias evidências de exploração extraterrestre encontradas em larga escala no sistema solar, desde a nossa Lua e Marte até Saturno. Artefatos na nossa Lua, Marte e em sua Lua Phobos foram descobertos,  fotografados  e analizados. A própria Terra possui artefatos remanescentes de estruturas alienígenas em regiões proibidas e localizações remotas do planeta , e outras completamente visíveis nas proximidades de pirâmides ou em planícies suavemente onduladas.
Às vezes, o Sistema Solar parece se assemelhar a um ferro-velho alienígena se alastrando.[See Before It’s News “Famous Egyptologist: Great Pyramid Contains Something Unworldly”]
Espaçonaves desse tipo e porte poderiam viajar entre estrelas e orbitá-las para pesquisa.
Um famoso astrofísico argumentou que a lua Phobos, uma lua de Marte, poderia ser uma nave espacial gigante.  Ele encontrou evidências de que ela seria oca e teorizou que o pequeno planetoide Phobos realmente seria uma nave espacial muito avançada de outra parte da galáxia.
(n.t. A lua marciana Phobos, é um dos dois maiores pedaços que restaram do planeta MALDEK, e que hoje é usada como uma base subterrânea pelos próprios maldequianosSaiba mais emhttp://thoth3126.com.br/category/maldek/)
Deimos, a outra lua de Marte, também poderia ser uma nave espacial em órbita do planeta Marte, ele escreveu. [See Before It’s News “Astrophysicist: Giant spaceships are orbiting Mars”]
Os dois enormes pedaços de rocha que orbitam o planeta Marte como suas duas luas, Phobos (Medo-com diâmetro de 22,2 km) e Deimos (Terror-com diâmetro de 12,6 km), foram lá colocados pela Federação Galáctica para estabilizar a órbita marciana caso contrário o planeta vermelho saltaria para fora do sistema solar após a explosão do planeta Maldek. O pedaço maior, Phobos, foi escavado pelos próprios maldequianos e hoje é uma base de operações subterrânea para os mesmos. SAIBA Mais em:  
http://thoth3126.com.br/historias-de-maldek-ombota-de-marte-parte-1/
Mas agora outro exemplo de tecnologia alienígena antiga pode ter sido encontrado  nos limites do sistema solar. Este objeto esta em uma órbita muito além de Plutão e Netuno, orbitando o Sol, desde a periferia do Sistema Solar, no espaço frio, profundo e escuro.
A sua estranha forma externa, o movimento rotacional e o seu tamanho sugere  que mãos estranhas hábeis e inteligentes a construíram incontáveis  eons (milhões de anos…) atrás. Criaturas extraterrestres inteligentes e fantásticas muito mais avançadas do que o homem atual pode ter estabelecido uma órbita distante da nossa estrela solitária para explorar todas as maravilhas do sistema, incluindo a antiga (e atual) Terra.
O objeto foi encontrado/localizado nos limites do sistema solar, no Cinturão de Kuiper.
Uma verdadeira ninhada de artefatos alienígenas abundam nas luas e planetas do Sistema Solar. Objetos estranhos, estruturas artificiais anomalias estranhas eles parecem estar em toda parte. Relatórios afirmam que um astronauta  “literalmente” quase tropeçou em algumas estruturas anômalas situadas em  nossa Lua, os astrônomos se engasgam com fotos que se parecem com  cidades destruídas, empregados da NASA são acionados quando eles discutem as cidades alienígenas encontradas no lado oculto da nossa lua, lá na superfície lunar. [See Before It’s News NASA Whistleblower: Alien Moon Cities Exist]
Apesar da avalanche de evidências – e muito mais provas parecem estar se acumulando a cada ano que passa -, mais e mais especialistas, mantem os olhos voltados para as fotos, analisando relatórios e testemunhos. Parece que ignorá-los está se tornando cada vez mais difícil de se fazê-lo.[See at  Alien Base Found At Chinese Pyramid]
Evidências de visitas estão inseridas em todas as culturas antigas da Terra.
Textos antigos de pesquisa e evidências de contato com alienígenas, criaturas das estrelas, e não “monstros” extraterrestres, relatos de deuses dos céus, e outros viajantes celestes aparecem por toda parte em todas as culturas. Alguns supostos antigos textos religiosos indianos discutem o assunto com naturalidade em relação aos homens das estrelas (e sua tecnologia).
Outras culturas, como os sumérios gravaram como a eles foram ensinados os rudimentos de agricultura e de outras tecnologias básicas para se criar uma civilização, por criaturas alienígenas (e astronomia avançada). Alguns respiraram o ar da Terra, outros usavam roupas especiais de pressão e capacetes.
Antiga estatueta suméria representando um ser vestido com roupa espacial.
Algum tempo, o Sistema Solar poderia ter estado repleto de espaçonaves de exploração, orbitando a Terra, explorando Marte, Vênus e outros planetas, com a construção de colônias científicas. A pesquisa pode ter acontecido durante milhares de anos. Pode ainda estar acontecendo agora, em nossos dias… Quem sabe … 

As Profecias de um Cavaleiro Templario

templarios-estandarte

EMMANUEL, através de Chico Xavier, respondendo a uma entrevista já publicada em livro nos diz que asprofecias são reveladas aos homens para não serem cumpridasQue elas são na realidade um grande AVISO ESPIRITUAL para que nos melhoremos e afastemos de nós a hipótese da realização do pior caminho profetizado, caso nada façamos“.
Pouco se sabe de João de Jerusalém, porém, um Manuscrito do século XIV, encontrado há pouco tempo no Mosteiro de Zagorsk, perto de Moscou, traça um breve perfil desta figura enigmática. Comenta-se ali que João de Jerusalém “era um homem que  “sabia ler e escutar os céus” (e o seu próprio Eu Superior). …


… Ele foi um dos fundadores da Ordem dos Templários. Morreu entre 1119 e 1120. Seu nascimento provável se deu em 1042 e participou da conquista de Jerusalém em 1099, tendo vivido ali por cerca de 20 anos. Foi durante este período que escreveu seu O Livro das Profecias {de novo o mesmo nome, João, para a mesma alma que viu [apesar de cego] e escreveu o Livro do Apocalipse  mil anos antes na Ilha de Patmos…}
“Non nobis Domine, non nobis, sed nomini Tuo da Gloriam” (Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao Teu nome Glorifique) – Salmo 115: 1 – Divisa dos TEMPLÁRIOS.

Vendo Pedro a este (João), disse a Jesus: Senhor, e deste (João) o que será? Disse-lhe Jesus CRISTO: Se eu quero que ele fique até que eu venha (de novo, no final dos tempos, os dias atuais), que te importa a ti? Segue-me tu. Divulgou-se, pois, entre os irmãos este dito, que aquele discípulo (Joãonão haveria de morrer. Jesus CRISTO, porém, não lhes disse de que ele não morreria, mas: Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti? Este é o discípulo (João) que testifica destas coisas e as escreveu; e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro”  –  João 21:21-24

Profecias de JOÃO (um Cavaleiro Templário) de Jerusalém
Acima: O Mosteiro de Zagorsk, Rússia, onde foi encontrado o documento.
 O texto segue um estilo bem característico da época:
“Vejo a imensidão da Terra…. Continentes que Heródoto não mencionou  (as Américas que os Templários descobriram a existência já no século XI) a não ser em seus sonhos se ajuntarão mais além dos bosques que descreve Tácito, no longínquo final dos mares que começam depois das Colunas de Hércules (o Estreito de Gibraltar, saída do Mar Mediterrâneo para o Oceano Atlântico). Mil anos terão se passado desde os tempos em que vivemos e todos os feudos em todo o mundo terão se reunido em grandes e vastos impérios (O Mundo globalizado de hoje). Guerras tão numerosas como as malhas de cota dos Cavaleiros da Ordem se entrecruzarão e desfarão reinos e impérios para formar outros ainda maiores. Mil anos terão passado e o homem haverá conquistado o fundo dos mares e a altura dos céus.
Terá adquirido o poder do sol (Bombas atômicas) e acreditará ser Deus, construindo sobre a terra mil Torres de Babel. Então,começará o ano mil que segue ao ano mil” [refere-se ao nosso milênio atual, o século XXI].
Quando começar o ano mil que segue ao ano mil o ouro [dinheiro] estará no sangue; quem estiver no templo encontrará comerciantes; os líderes serão cambistas e usurários. A espada [armas] defenderá a serpente [o império do mal] e todas as cidades serão (como) Sodoma e Gomorra.
Acima: O Brasão de Armas do último Grão Mestre da Ordem dos Cavaleiros Templários, Jacques De Molay.
O homem terá povoado os céus, a terra e os mares com suas criaturas; ambicionará os poderes de Deus e não conhecerá limites. Mas, tudo se sublevará contra ele (principalmente AS FORÇAS DA NATUREZA); titubeará como um rei bêbado, galopará como um cavaleiro cego e, a golpes de esporas, levará sua montaria para o bosque. No final do caminho estará diante do abismo
Quando começar o ano mil que segue ao ano mil, Torres de Babel serão construídas em todos os pontos da Terra. Em Roma e em Bizâncio (Atual Istambul, Turquia) os campos se esvaziarão. Já não haverá mais leis para proteger a ninguém, e os bárbaros estarão vivendo nas cidades. Já não haverá pão para todos e os jogos já não serão o bastante (nunca há Pão e Circo suficiente). Então, as pessoas, sem futuro, provocarão grandes incêndios.
Todos tentarão desfrutar de tudo o que puderem. O homem repudiará sua esposa tantas vezes quantas se casar, e a mulher irá por caminhos sombrios tomando para si tudo que lhe apetecer, dando à luz sem pôr o nome do pai. Nenhum mestre guiará a criança e cada um estará só entre os demais. A Tradição se perderá, a lei será esquecida e o homem se tornará selvagem outra vez.
Quando começar o ano mil que segue ao ano mil o pai buscará prazer em sua filha, o homem com outro homem, a mulher com outra mulher, o velho com o menino impúbere, e tudo isso diante dos olhos de todos. Porém, o sangue se tornará impuro, o mal se estenderá de leito em leito e o corpo recolherá todas as podridões do mundo [Sífilis, Aids…]. Os rostos serão consumidos, os membros serão desencarnados e o amor será uma ameaça entre aqueles que apenas se conhecem pela carne.
templario-Spiritual-Warrior-iniciação
Quem falar de promessas e de lei não será ouvido, quem pregar a fé do Cristo perderá sua voz no deserto. Mas, em todas as partes se estenderão as águas poderosas das religiões infiéisFalsos Messias reunirão os homens cegos e o infiel armado será como nunca antes foi. Ele Falará de justiça e de direito e sua fé será de sangue e de fogo, e se vingará das Cruzadas (os muçulmanos atacarão os católicos e protestantes europeus COM A INVASÃO DA EUROPA).
Quando começar o ano mil que segue ao ano mil todos saberão o que acontece em todas as partes do mundo [televisão, internet, celulares, satélites]. Serão vistas crianças cujos ossos estarão marcando a pele, pela fome, com seus olhos cobertos de moscas e caçados como se matam ratos…. [Etiópia, Kosovo, Chechenia, Síria, Faixa de Gaza, África, etc…]
O homem fará comércio de tudo e de todas as coisas. Tudo terá preço e nada mais será dado. Nada mais será sagrado, nem sua vida nem sua alma. As crianças também serão vendidas, e algumas delas servirão de bonecas para desfrute de sua pele jovem, outras serão tratadas como animais servis. A debilidade sagrada da criança bem como seu mistério serão esquecidos e o homem não será outra coisa que a barbárie.
Quando começar o ano mil que segue ao ano mil o olhar e o espírito dos homens já estarão prisioneiros; estarão ébrios e não se darão conta. Tomarão as imagens e os reflexos como sendo a própria verdade. Farão com eles o que se faz com os cordeiros, tirando sua pele e sua lã.
No mundo reinarão soberanos sem fé, governarão multidões ignorantes (estúpidas) e passivas. Esconderão seus rostos e guardarão seus nomes em segredo. Ninguém participará de suas reuniões e assembléias e todos serão verdadeiros escravos mas acreditarão serem homens livres. Só os selvagens [países pobres?] se levantarão mas serão vencidos e queimados vivos.
Quando começar o ano mil que segue ao ano mil TERÁ SURGIDO UMA ORDEM NEGRA E SECRETA (Iluminattis, Nova Ordem Mundial, Sionismo, etc)Sua lei será o ódio, e sua arma, o veneno. Desejará cada vez mais ouro e estenderá seu reino por toda a Terra, e seus servidores estarão unidos entre si pelo beijo de sangue. Os homens justos e os fracos acatarão suas ordens, os poderosos se colocarão a seu serviço e a única lei será a que for ditada nas sombras. O veneno será visto dentro das igrejas e o mundo avançará com esse escorpião debaixo do pé.
A terra começará a tremer em vários lugares e as cidades (litorâneas) se afundarão nas águas. Tudo que foi construído sem ouvir os conselhos dos sábios será ameaçado e destruído. O lodo inundará os povoados e o solo se abrirá debaixo dos palácios. O homem seguirá obstinado porque o orgulho é a sua loucura. Não escutará as repetidas advertências da (MÃE) terra e o fogo destruirá as novas RomasEntre escombros acumulados, pobres e bárbaros, apesar dos soldados, saquearão as riquezas abandonadas.
por-do-sol
Quando começar o ano mil que segue ao ano mil O SOL QUEIMARÁ A TERRA
Quando começar o ano mil que segue ao ano mil O SOL QUEIMARÁ A TERRA o ar já não será o véu (A ATMOSFERA DA TERRA DEVERÁ SOFRER ALGUM TIPO DE MODIFICAÇÃO) que protege do fogo e a luz e calor ardente queimará a pele e os olhos de todos.
O mar se elevará como água furiosa e as cidades e costas serão inundadas. Continentes inteiros desaparecerão com os homens refugiando-se nas alturas, e esquecendo o ocorrido, iniciarão a reconstrução.
(…) Os animais que Noé embarcou na arca não serão, nesse tempo, mais que bestas transformadas pela mão do homem [clones]. Quem se preocupará com seus sofrimentos vitais? O homem terá feito de cada animal aquilo que bem lhe convier e terá destruído inúmeras espécies. Em que terá se convertido o homem que mudou as leis da vida, tendo feito de um animal vivo um objeto de barro? Será igual a Deus ou será filho do demônio?
Quando começar o ano mil que segue ao ano mil regiões inteiras do mundo serão botins de guerra. Além dos limites romanos e incluindo o antigo território do império os homens da mesma cidade se degolarão. Aqui haverá guerras entre tribos e lá, entre crentes. Os judeus e os filhos de Alah não deixarão de se enfrentar. A terra de Cristo (A Palestina) será o campo de batalha. Mas, os infiéis irão querer defender em todo o mundo a pureza de sua fé e diante deles não haverá mais que dúvidas e poder. Então a morte avançará por todo o mundo como o estandarte dos novos tempos.
Jerusalém, um lugar disputado por três religiões, no Oriente Médio, Judeus x Muçulmanos x católicos e Jerusalém, o ponto focal da energia masculina (e da discórdia) no planeta, um final trágico (?) na discórdia na região e entre povos irmãos.
 (…) Multidões de homens serão excluídas da vida humana. Não terão direitos, teto, alimento. Estarão nus e não terão mais nada para vender a não ser seus corpos. Mas serão expulsos para longe das Torres de Babel da opulência, aonde ouvirão as prédicas da vingança, que os levarão ao ataque às orgulhosas torres. Terá chegado um novo tempo de invasões bárbaras (…).
O despertar de uma nova era
Chegado plenamente o ano mil que segue ao ano mil [Início da nova Idade de Ouro], por fim, os homens terão abertos seus olhos e já não mais estarão encerrados em suas cabeças ou em suas cidades. Perceberão que o que atinge a um fere também ao outro. Formarão os homens um corpo único no qual cada um será uma parte ínfima. Juntos, constituirão o coração e haverá uma língua que será falada por todos e assim nascerá um grande ser humano.
(…) Conquistará o céu, criará estrelas no grande mar azul (espaço interestelar) sombrio e navegará nessa nave brilhante como um novo Ulisses, companheiro do sol, rumo a Odisséia Celeste. Também será o soberano da água, construirá grandes cidades aquáticas que se alimentarão dos frutos do mar. Viverá assim o homem em todas as partes e nada lhe será proibido.
Quando chegar plenamente o ano mil depois do ano mil o homem poderá penetrar na profundidade das águas. Seu corpo será novo e será como os peixes. Alguns voarão mais alto que os pássaros como se a pedra nunca caísse. Se comunicarão entre todos pois seu espírito estará aberto para recolher todas as mensagens. Os sonhos serão compartilhados com todos e viverão tanto tempo como o mais velho dos homens, aquele do qual falam os livros sagrados [Matusalém].
(…) Conhecerá o homem o espírito de todas as coisas. A pedra ou a água, o corpo do animal ou olhar do outro. Penetrará nos segredos possuídos pelos deuses antigos… As crianças conhecerão os céus e a terra como ninguém antes deles. O corpo humano será maior e mais hábil e seu espírito abarcará tudo e todas as coisas… Chegado plenamente o ano mil que segue ao ano mil o homem não será o único soberano.
A mulher ( a energia da Deusa) empunhará o cetro, e ela será a mestra dos tempos futuros. Tudo que ela pensar dará ao homem que a ouvirá. Ela será a mãe desse ano mil que segue ao ano mil (Resgate do Feminino Divino). Difundirá a terna doçura de mãe depois dos dias do demônio.
Será a beleza depois de feiúra dos tempos bárbaros. O ano mil que segue ao ano mil mudará rapidamente. Se amará e se compartilhará, se sonhará e se dará vida aos sonhos.
Chegado plenamente o ano mil que segue ao ano mio homem (a humanidade) conhecerá um segundo nascimentoo espírito se apoderará das pessoas que conviverão em fraternidade. Então será anunciado o fim dos tempos bárbaros… Será um tempo de um novo vigor da fé depois dos dias negros do início do ano mil que vem depois do ano mil… E a terrá estará em ordem…
Chegado plenamente o ano mil que segue ao ano mil os caminhos irão de uma ponta a outra da terra e do céu. Os bosques serão outra vez frondosos, os desertos serão irrigados, as águas se tornarão puras e a terra será como um jardim. O homem velará por todas as coisas, purificará o que contaminou, sentirá que a terra é sua casa, será sábio e pensará no amanhã.
Chegado plenamente o ano mil que segue ao ano mil o homem terá aprendido a repartir e a dar… Os dias amargos de solidão terão ido, os bárbaros terão adquirido o direito de cidadania. Mas isso só virá depois das guerras e dos incêndios. Isso surgirá dos escombros enegrecidos das Torres de Babel…. (Publicado originalmente em Abril 2014)