quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Morreu o último homem a pisar a Lua

O astronauta Eugene Cernan, o último homem na Lua

“A aterragem é como estar imerso numa folha de fogo, num cometa, numa estrela cadente”. As palavras são de Eugene Cernan, que fez parte da última missão tripulada à Lua – e foi o último homem a pisar o solo lunar.
Morreu aos 82 anos o astronauta Eugene Cernan. A notícia foi confirmada pela NASA através do Twitter esta segunda-feira, 16 de janeiro.
“Lamentamos a perda do antigo astronauta da NASA Gene Cernan, o último homem a andar na lua”, lê-se no tweet publicado na rede social.
Filho de mãe checa e pai eslovaco, Eugene Cernan esteve no espaço três vezes, a última delas como comandante da Apollo 17, a sua terceira missão e a última das missões do Programa Apollo a pousar na Lua. Antes, tinha estado em órbita da Lua na missão Apollo 10. Completou 566 horas e 15 minutos no espaço, 73 horas das quais na Lua.
Como comandante da Apollo 17, em 1972, Eugene Cernan foi o primeiro a descer da nave, à frente do seu co-piloto, o geólogo Harrison Schmitt, que se tornou o 12º homem a pisar a Lua. Mas, ao ser o último a reentrar no Módulo Lunar Challenger para a viagem de volta, Cernan tornou-se o último homem a pisar o solo lunar.
São dele também as últimas palavras de um ser humano na Lua, quando se preparava para subir a escada do Challenger.
Filho de mãe checa e pai eslovaco, Eugene Cernan esteve no espaço três vezes, a última delas como comandante da Apollo 17, a sua terceira missão e a última das missões do Programa Apollo a pousar na Lua. Antes, tinha estado em órbita da Lua na missão Apollo 10. Completou 566 horas e 15 minutos no espaço, 73 horas das quais na Lua.
Como comandante da Apollo 17, em 1972, Eugene Cernan foi o primeiro a descer da nave, à frente do seu co-piloto, o geólogo Harrison Schmitt, que se tornou o 12º homem a pisar a Lua. Mas, ao ser o último a reentrar no Módulo Lunar Challenger para a viagem de volta, Cernan tornou-se o último homem a pisar o solo lunar.
São dele também as últimas palavras de um ser humano na Lua, quando se preparava para subir a escada do Challenger.
“No momento em que deixamos a Lua e Taurus-Littrow, partimos como chegamos, e se for a vontade de Deus voltaremos com paz e esperança para toda a Humanidade. Quando dou estes últimos passos para fora da superfície lunar, gostaria de lembrar que o desafio da América de hoje forjou o destino do homem do amanhã. Deus abençoe a tripulação da Apollo 17”.
É dele a afirmação de que a Grande Muralha da China é a única construção feita pelo homem que é visível da Lua. Tal afirmação foi no entanto desmentida em 2003 pelo astronauta chinês Yang Liwei, que disse ter ficado decepcionado ao descobrir que não é possível ver a famosa construção a partir do espaço.
ZAP // NASA / Wikipedia