quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Ana Paula

Querido companheiro José Dirceu,


A sua história de vida fala por você.
Nessas andanças em defesa da sua história e mesmo aqui na rede, o que vejo são demostrações de carinho, afeto e de respeito por sua honradez e coragem.
São 8 anos defendendo a sua inocência, que não vai cessar com a injustiça que esses Ministros que não tem a decência de julgar com os autos, mas, julgam um processo montado pela mídia em conluio com o MPF e Joaquim Barbosa, embasado em denúncias que começaram com Carlinhos Cachoeira, um criminoso contumaz e reverberado por Roberto Jefferson, um sujeito desprovido de caráter.
Eu e todos que te defendemos sabemos que essa é a maior injustiça que o STF fez depois de condenar à morte Olga Benario ao extraditá-la para a Alemanha.
Sabemos de seu caráter e da lisura de suas ações. Não são esses ministros vendidos para a mídia e para a opinião pública manipulada pela mídia venal que vai nos abater.
Lutaremos por você todos os dias de nossas vidas.
Tenho vergonha da justiça brasileira, tirando um ou outro juiz que não se vende.
Olhei de novo a denúncia do PGR e lá está, "que seja condenado José Dirceu de Oliveira e Silva para que sirva de exemplo à nação."
Quer dizer, tem Lista de Furnas, tem mensalão tucano, tem tremsalão, tem privataria tucana e você que não operou nem essas coisas citadas e muito menos fez pagamento mensal a qualquer parlamentar, é condenado para servir de exemplo?
O Exemplo que você deu foi o que seguimos, que é fazer desse país um lugar melhor para viver.
Você foi condenado para que vivamos em liberdade!
É justo isso? Não!
Não me sinto livre ao ver o meu comandante ser condenado sem ter feito quaisquer uma das coisas que lhe imputaram.
O que é nossa liberdade se nosso maior exemplo foi condenado sem ter direito à defesa.
O grande problema da justiça e outras instituições é que elas ainda agem como se estivessem na ditadura, porque na verdade a maioria de seus membros fizeram sua carreira dentro dela. É só ver a biografia de seu inimigo fidagal, Joaquim Barbosa que fez sua carreira toda dentro da ditadura. Então ele o condenou com aval dos outros adestrados da ditadura por você ter lutado contra ela.
A ditadura continua institucionalizada em vários setores públicos e privados.
Saiba que não me sentirei livre enquanto sua inocência não for provada.
Para nós ela está, mas, precisamos resgatar sua biografia.
Recorramos às Cortes Internacionais.
Farei um pronunciamento no Consiglio di Roma, do dia 15 à 18 de outubro, denunciando às mulheres juristas de todo o mundo as aberrações jurídicas cometidas contra você e todos os outros companheiros.
Hoje é um dia muito triste para mim e todos que te admiram e apoiam.
Mas, precisamos resistir.
Resistência é para os fortes.
Estamos de pé como você!
De cabeça erguida como você!
Sabemos que você é muito mais do que esses ditadores togados que te condenaram.
Ao te condenarem, decretaram o AI-6, como já havia lhe falado anteriormente, ou seja, demonstraram que a justiça jamais saiu dos porões da ditadura!
Querido Zé, meu carinho, meus pensamentos e meu apoio incondicional a ti.
Um grande abraço no coração

Ana Paula